Blog

Politca x Politicagem


04/06/2014 20:54

Acompanhando os noticiários regional e nacional, fico entristecido pelos caminhos que anda a credibilidade da política. Me entristece saber que ser político hoje pode ser sinônimo de ladrão, corrupto, etc. Quando eu era criança ficava encantado com a vocação política, com a possibilidade da representação popular.

Participei ativamente dos movimentos populares, seja no movimento comunitário como integrante da Associação de Moradores do meu bairro, onde o meu pai foi um dos fundadores. Com 20 e 22 anos de idade, fui membro da Umam - União Municipal das Associações de Moradores de Campo Grande, e da FAMEMS - Federação das Associações de Moradores do MS, fui presidente do DCE da UCDB, ou seja, sempre procurei estar envolvido nas lutas populares.

Nunca ocupei cargos políticos, sempre trabalhei como voluntário nos meus projetos. Trabalho há quase dez anos no Senai, onde do meu salário também pago as contas da Gibiteca.

Fui candidato a vereador em 2012 pela primeira vez e adorei este momento impar na minha vida, pois mesmo sem dinheiro e estrutura consegui uma boa votação. Sou muito grato a todos que confiaram em mim. Mas o que mais me chateava na época da campanha era o absurdo poder econômico, onde carros com adesivos de candidatos "ricos" era sinal claro que a campanha era injusta, bem como o uso exagerado da fé religiosa como convencimento eleitoral. Como sempre ouvi: Tatu não sobe em arvore!! São sempre os mesmos fazendo as mesmas coisas.

A mudança que a população quer tem que começar na postura do eleitor, pois não adianta o povo falar em mudança se não mudar os vícios eleitorais. Todos os políticos que estão no poder foram eleitos pelo povo. Tem políticos excelentes, mas tem políticos que usam a boa fé do povo.

Aprendi que não é o político que vira ladrão, mas é o ladrão que vira político.

A política é algo fantástico, pois é através da ação política que poderemos construir uma sociedade plural, mais justa é igualitária.

Muitas pessoas confundem política com politicagem e existe uma diferença enorme. Como disse um dia o grande Martin Luther King: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.

O politico deve servir, jamais ser servido. É só.

Outros Artigos